Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Tristes Sonhos

Relembro quando a tua face bela
pairava em meus esparsos pensamentos;
Teus olhos quais pintura numa tela
fitando os meus, molhados, aguacentos.

E vejo a imagem terna da donzela
a dona deste amásio em sentimentos
e o tempo voa e leva-te naquela
memória doce em sopros turbulentos.

Por que me abandonaste em tristes sonhos
levando aquela voz que me acalmava
trazendo desalentos tão medonhos?

A tua imagem bela foi depor
deixando a minha mente mais escrava
da morte que eu causei ao meu amor...

Gustavo Valério Ferreira
02/03/2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *