Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Tempos Anormais

Joguei os fatais jogos ignorantes
navegando em naus feitas por terceiros...
Sofri colisões pelas incessantes
certezas surreais de ideais aborteiros...

Não vencia o mar pois ventos constantes
vinham balançar meus velhos veleiros;
E sem alcançar Miguel de Cervantes
quieto faleci ante os derradeiros

tempos anormais e mui produtivos...
Tentei, porém, ser o vivo entre os vivos
mas logo cansei do comum ataque...

Eu queria ver o recinto que ousa
de nós esconder nossos Cruz e Souza,
Augusto, Gullar, Machado e Bilac!

Gustavo Valério
03/02/2020

2 comentários:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *