Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Augustos Versos

Quando vieste bater em minha porta
como um fantasma pasmo em calafrios
por entre as catacumbas dos vazios,
vi tua natureza quase morta.

A tua obscura crença te conforta
e estruturando nela os teus fastios
perdeste o amargo mel dos fugidios
escritores famosos - Alma torta!

Eu não quis ver-te nessa vil desgraça
pois o teu versejar rasgou a pele
do tempo e o despertou do vale de ossos...

Tua literatura sem mordaça
foi tão pura que até hoje repele
a seca safra lírica dos Poços!

Gustavo Valério
24/01/2020



Em memória do fabuloso, eterno e Solitário poeta-mor, Augusto dos Anjos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *