Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ O Acidente

acidente
Desaceleração, brusca frenagem...
barulhos, gritos... Vozes inconstantes;
gemidos, sangue... Dores extasiantes
na palidez de estática paisagem...

Sombra atônita, tácita e selvagem
infeccionou os ares instigantes
com medos, fatos, cores perfurantes
e também com fatal e eterna viagem...

Olhos fechados, corpos bem abertos
na avenida dos casos mal cobertos
há flagrantes flagrados por normais.

O tão nobre acidente cotidiano
teve a repercussão mais forte do ano.
Quem disse que os valores são iguais?

Gustavo V.S Ferreira
24/08/2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *