Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Lua de Sangue

caveira esqueleto se erguendo do tumulo a noite

A lua de sangue é a minh’ampla passagem
para o mundo sem cor que os humanos habitam
sob leis vis, imorais e arcaicas que os limitam
a alcançar qualquer voo autônomo ou selvagem.

O sagrado amor pela alva vida - a viagem
é enforcado à noute quando eles conflitam;
votos, vales e vultos às trevas cogitam
velas, vilas e valas para antidopagem.

Novas senzalas, alas para os que acreditam
que a liberdade só pode ser gran’ vantagem
se for ilimitada e eles riem, e ditam

que a lua de sangue é uma falsa paisagem
e ninguém a vê, exceto os maus que necessitam
d’um pouco de nequícia à luz da pseudo-imagem.

Gustavo V.S Ferreira
01/03/2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *