Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Persistência Douda

taças e faca sujas de sangue
Ainda insistes em dar murros
em pontas de facas?
Achas que um dia a dor
vai simplesmente sumir?
Achas que as feridas sararão
se continuares tentando?

Ainda insistes onde sabes
que não há solução?
Achas que tentativas repetidas
garantem o resultado da ação
em algo que sequer esboça
algum tipo de reação?

Ainda insistes em abandonar
o teu eu em prol dos outros?
Achas que o mundo te dará de volta
o tempo perdido, jogado no esgoto?
Achas que insistir em quem se acomodou
trará algum tipo de amor que supere a dor?

Ainda insistes. Admiro tua burrice
travestida de persistência.
A tua resiliência na mesmice
é algo surreal, anormal, sem sapiência.

Gustavo V.S Ferreira
09/02/2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *