Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2018

Poeta & Presa

O tempo apressado
está me matando
torna-me cansado
deixa-me arrastando

meu osso pesado
(esqueleto arfando).
No sonho acordado
eu só sonho andando.

Ó tempo estressado
ei-me fracassado
aqui, arquitetando...

'tou sendo cassado,
e sendo caçado
vou me torturando...

Gustavo V.S Ferreira
23/09/2018

O Vazio da Saudade

Não te disse que logo passaremos
e nenhuma lembrança restará?
Não te disse que logo assumiremos
que essa nossa distância aumentará?

Disse que meu coração partirá
por causa desse amor que concebemos;
Tão cedo o sentimento findará
e disso, nós dois, secos, já sabemos.

Digo até que te amo, se te agradar
mas jamais pense que eu hei de ficar
lembrando o que, equivocados, fizemos...

Foi bom e incrível, mas deve acabar;
nosso ato belo... Mente a martelar...
Quando será que nos esqueceremos?

Gustavo V.S Ferreira
23/09/2018



A Traição

A traição em tua porta bateu
e três vezes, o teu corpo, invadiu;
perfurou-te na noute à sangue frio,
pintou o chão de vermelho e correu...

Por três vezes a traição te venceu
e em teu corpo habitou, fez-te vazio
naquela noute amarga destruiu
todos teus sonhos e te emudeceu...

Silenciei-me no dia sombrio
em que teu sorriso não reluziu
e tua presença forte, morreu...

O dia nasceu morto e fugidio
o sol, tão triste, quase não luziu
e o céu chorando, em nuvens te acolheu.

Gustavo V.S Ferreira
16/09/2018

Alta Tensão

A vida é bandida; bandida e tensa
que eletriza o pulsar do coração
alimentando a mais alta tensão
decretando os fatos como sentença.

Se os fatos são apenas malquerença
e possuem mais de uma dimensão
indo além da nossa compreensão
não os viveremos de forma intensa?

Mas se a vida é bandida e sem noção
agiremos assim, co' indiferença
apenas promovendo a objeção?

Melhor é vivê-la de forma intensa
criando um mundo co' imaginação
onde viver a vida é recompensa...

Gustavo V.S Ferreira
09/09/2018

O Poeta e a Lua

Jão Cínico de Alagoas
um poeta diferente
escrevia poesia
ficava todo contente
quando alguém lia seus textos
arranjava alguns pretextos
para ficar sorridente.

Seu Jão era muito humilde
não ligava pro dinheiro
queria ser conhecido
por qualquer um brasileiro
seu sonho era viajar
sua poesia mostrar
para este mundo inteiro.

Mas o destino é incerto
e os sonhos são traiçoeiros
seu Jão muito se esforçava
longe dos seus travesseiros
escrevia sem parar
e até o dia raiar
foram vários candeeiros.

Suas poesias noturnas
inspiradas nas caladas
eram belas e simétricas
com rimas bem arrumadas
versificava com vigor
da morte até a dor
em poesias explanadas.

Seu Jão falava da lua
e nunca falou do sol
falava da rua nua
pescava estrelas co' anzol
mas essa opção pela noite
lhe causara algum açoite
que alterou seu cortisol.

Então dona natureza
não curtiu muito a ideia
de falar só d'uma beleza;
convocou uma assembleia
seres de todas as formas
escreveram outras normas
para quem quer ter plateia.

Todos…

Modelo Inconsciente

Todo o céu está sangrento
chove sangue nos humanos...
São tempos diluvianos...
É preciso engajamento...

O ácido tornou-se vento,
negros são caucasianos,
e os brancos são africanos...
Falta-nos conhecimento...

Somos todos levianos
destruindo os belos planos,
nesse modelo avarento...

Seremos menos insanos
na hipocrisia dos anos
buscando empoderamento?

Gustavo V.S Ferreira
01/09/2018