Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ O Sino

borboleta pousando sobre um livro velho
A vida não passa d'um perverso conceito
que sequestra tu'alma, teu corpo e teu desejo
e força-te a aceitar teu interno despejo
que despeja teu eu no próprio preconceito.

Ocorre diariamente sem respeito;
tua vida é apenas algum remanejo
que te mantém sobrevivendo num latejo
bem sistemático, estruturado e suspeito.

E vivendo enquanto morto neste cortejo
não respiras mais; falas mudo num solfejo
tentando convencê-los para ser aceito.

E asmático na luta sem qualquer traquejo,
vives na densa lama como um caranguejo...
Quebrou-se o sino que badalava em teu peito.

Gustavo V.S Ferreira
07/08/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *