Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Amor

sabonete em forma de coração
O meu caro amor caiu do cavalo
e foi atropelado pelo tempo;
Morreu e desfez-se no contratempo
dessa vida e escorregou pelo ralo.

Sua existência causava um gargalo
e descompassava o meu passatempo;
Ele surgiu e nesse meio-tempo
transformou-me em seu único vassalo.

O amor aparentemente supempo
deu-me sofrimento como regalo
e apenas música triste, no embalo...

Hoje, mais maduro e consciente, empo
que o amor é o lancinante intervalo
entre o amadurecido e o chavalo.

Gustavo V.S Ferreira
25/08/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *