Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Poeta Morto

ursinho na linha do trem
Preocupo-me em deixar um legado
que possa, minhas filhas, sustentar,
que consiga dar-lhes o mais puro ar
dentro deste mundo dissimulado...

A morte tem, aos poucos me rondado
e a qualquer momento pode atacar.
Logo, preciso me preocupar
e não ser mais assim, tão descuidado.

Serei impedido de respirar,
pelo acaso, talvez, assassinado
e sem tempo algum para me explicar

Serei um poeta mortificado
sem ao menos ter tempo de abraçar
minhas filhas c'um abraço apertado.

Gustavo V.S Ferreira
29/07/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *