Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Patologia

A vida d'alguns seres é um catarro
durante a longa agonia fremente
que controla deliberadamente
o pulso e a respiração do barro.

Porém ninguém vê este ser bizarro
lutando e sofrendo tranquilamente
p'ra não ser somente um ser diferente,
não-ser apenas cinzas de cigarro.

E a ânsia para ser livre é mormente
e encontra o vitimismo num esbarro
que o ser do mal, tão raro, jaz dormente.

O universo conspira e num pigarro
atravessa a lua em vida pungente
e a vida assim não passa d'um escarro.

Gustavo V.S Ferreira
02/07/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *