Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Naquela Esquina

esquina noturna
Ocorreu à noite, naquela esquina
onde o vento morre e sequer sussurra
sons fantasmagóricos na suburra
que forma palavras de adrenalina...

Ocorreu no silêncio da neblina
onde o tempo inverso, o relógio esmurra
e o medo do medo é nova panturra
que no estômago trêmulo culmina...

E sofrendo, a dor até nos empurra
a procurar morte como toxina
pra evitar a vida como uma surra...

Não quis morrer, porém a medicina
resolveu tardar, então fui bamburra
cheio de fraturas numa chacina.

Gustavo V.S Ferreira
27/07/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *