Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Era Madrugada III

Ela descansava
em paz, transformada;
quieta no nada,
calma, sussurrava...

À morte cantava
bela desalmada,
linda e desarmada
em canto assombrava...

E amaldiçoada
em sombra pairava
anestesiada...

Em sonho falava:
Nesta madrugada
su'alma vingava!

Gustavo V.S Ferreira
10/07/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *