Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Última Queda

O amor à vida apenas nos azeda
torna-nos amargos e ignorantes
ácidos, egoístas e arrogantes
alimentando aquilo que nos veda.

Tal amor, nossa cegueira leveda
em visões singelas e contrastantes
que se destacam em interessantes
situações que o egoísmo enreda.

O amor à vida traz exorbitantes
preços obscuros e decepcionantes
e exige nossa alma como moeda.

Vivemos a vida como imigrantes
deste amor que nos torna coadjuvantes
'té acordarmos na última queda.

Gustavo V.S Ferreira
20/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *