Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Teu Corpo

Teu corpo belo no chão tão quieto
fez os meus olhos suarem, de dor
ante o acidente estarrecedor
que desfez minha vida e o meu afeto...

Choro só mas o choro é mui discreto...
No silêncio, choro é avassalador,
conforta, acalma; é aliciador...
O choro é, das emoções, o dejeto...

Vendo o teu corpo frio em esplendor
esvaindo no mais cruel projeto
que nem sequer possui um criador...

Desejo vê-lo puro e ressurreto
no voo final denunciador
a reclamar, em morte, do arquiteto.

Gustavo V.S Ferreira
26/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *