Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Suicídio

Estamos presos neste precipício
ainda não sabemos como sair
e semimortos, quase a sucumbir
desejamos retornar ao início.

Porém o tempo não está propício
e não há uma forma de interagir;
é até mais difícil distinguir
se estamos ou não num enorme hospício.

A incerteza parece persuadir
ofertando-nos algum benefício
entusiasmada em nos confundir...

Co' as vidas presas neste desperdício
o suicídio parece um souvenir
humano e também, da paz, um resquício.

Gustavo V.S Ferreira
22/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *