Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Minuto Longo

Tempo nada tem além da ilusão
que tudo detêm pois é a razão
que rouba veloz pedaços de vida;
o tempo é algoz, é fera ferida...

É morte a matar, é uma diástole
de vida a findar na última sístole...
É brisa do mar na eterna partida;
leão a bradar - paixão elidida...

E nada farei num longo minuto
calado chorei num pranto fajuto
O tempo é o rei de todos os lutos.

Meu sonho já foi em casos volutos
deixados depois num raso estatuto.
Morremos nós dois - tempo tem tributo.

Gustavo V.S Ferreira
03/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *