Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Eterno Descanso

Eis que o fim está próximo, digo,
logo, toda a dor há de findar
e de toda a paz poderei gozar
sem ter o tempo como inimigo.

Espero solitário e consigo
por muito mais, ainda esperar
aguardo a paz contextualizar
o descanso que terei como amigo.

Não preciso sequer agonizar
pois não existe sombra de perigo
que seja capaz de me atrapalhar...

Terei o descanso como castigo,
vida e morte num harmonizar
bem dentro do meu eterno jazigo.

Gustavo V.S Ferreira
23/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *