Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Duplamente

O mundo que nos força duplamente
a viver numa memória vazia
e a matar uma pobre alma por dia
inda conviver co' isso normalmente.

O mundo nos força constantemente
a aceitar toda nossa covardia
dentro nós, desta nossa moradia
que criamos dentro de nossa mente.

E assim, submissos, damos estadia
ao mal que doma paulatinamente
tudo que há numa vida sadia...

E morremos assim, tão calmamente
conformados, lendo uma poesia
gastando o último fôlego emergente.

Gustavo V.S Ferreira
19/06/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *