Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Sinergia

Ouço a (atraente) voz dela gravada
e o meu coração, bem mas forte pulsa
sua doçura, meus nervos, impulsa
deixando minha pele arrepiada.

✑ Punhal

A voz dela amor exala;
seu perfume é um segredo
da bondade é arremedo
é sofrer em grande escala.

✑ Joaninha

Alguns humanos são como erva daninha
afirmam saber quase toda a ciência
porém para obtê-la, não têm paciência
e sobrevivem numa vida mesquinha.

✑ Sorte

Sorte é importante no status quo
desta sociedade; é adereço
que serve também como um endereço
que leva o mundo a um estado oblíquo.

✑ Extraterrestre

O teu amor por mim é extraterrestre
e excede o que posso compreender...
Tu tentas, aos poucos me reviver
mas sou vazio e da frieza, um mestre.

✑ Teu Corpo

Teu corpo belo no chão tão quieto
fez os meus olhos suarem, de dor
ante o acidente estarrecedor
que desfez minha vida e o meu afeto...

✑ Amálgama

A eterna saudade que hei de sentir
haverá de me matar lentamente
e pranteando copiosamente
tento, no inferno, não imiscuir.

✑ Eterno Descanso

Eis que o fim está próximo, digo,
logo, toda a dor há de findar
e de toda a paz poderei gozar
sem ter o tempo como inimigo.

✑ Suicídio

Estamos presos neste precipício
ainda não sabemos como sair
e semimortos, quase a sucumbir
desejamos retornar ao início.

✑ Frieza

Esta vida é inútil e sem suporte
lotada de pessoas muito frias
que causam tempestades, ventanias
somente para encontrar algum norte.

✑ Última Queda

O amor à vida apenas nos azeda
torna-nos amargos e ignorantes
ácidos, egoístas e arrogantes
alimentando aquilo que nos veda.

✑ Duplamente

O mundo que nos força duplamente
a viver numa memória vazia
e a matar uma pobre alma por dia
inda conviver co' isso normalmente.

✑ Alma

Minh'alma penando nas madrugadas
pagando pecados, esperando a hora
que este mundo a deixará ir embora
loucamente por escuras estradas.

✑ Ela

Lá vem a minha querida donzela,
vem dançando entre os vendavais, tão pobre
e faz com que o tempo congele e dobre
nas ruas assombrosas da favela.

✑ Segunda Morte

Muitos acreditam que tudo é pura sorte;
vivem sem dar o devido valor à vida
arriscam-se numa procura ensandecida...
Morrem vazios em suas "segunda morte".

Gustavo V.S Ferreira
15/06/2018

✑ Último Eclipse

Nunca falo do mal em paralipse
porém o mal, que há mim, é famulento
domina-me num recrudescimento
e mata-me, aos poucos, numa tlipse.

✑ Sol é Vida

Ao amanhecer, ouço o som do sol
encantando à beleza desta vida
em sua luz forte e desinibida
e musicando o mundo em si bemol.

✑ O Perfume

Escapei feliz daquele tapume
transpondo minha vida em sacrifício;
suportando todo esse malefício
do morrer, que esta vida se resume...

✑ Violino Novo

Ganho vida ao tocar meu violino
e d'um sonho transcendental acordo
viajando em suas notas, transbordo
num mar calmo, pacífico e divino.

✑ Pálido Anjo Azul

Vim num raio de sol e gelo, bem distante...
Ofuscamento - luz mui forte - fui à lua
e lá, meu coração morto, em gelo atenua
o tempo cru, que nunca foi bom o bastante.

✑ Merecimento

E despertando por merecimento
recebi minh'alma em divina glória
depois percorri esta trajetória
e encontrei lúgubre conhecimento.

✑ O Lembrete

Inda sinto dores em meu joelho
é uma lembrança que me atormenta
e que me incomoda e me experimenta;
será que a dor tenta dar-me um conselho?

✑ Distante

Agora recebi uma nova chance
Então farei tudo valer a pena
Minha alegria co' a alma contracena
e juntas formam minha performance...

✑ Olhos Verdes

No grande espelho do tempo acordei
e calmamente meus olhos abri
refletindo pura vida, sorri
e uma nova jornada comecei.

✑ Ressurreição

E se nossas almas pudessem retornar?
Já imaginou se pudesses conhecer
os níveis de viver, morrer e reviver
e ainda conseguir, de todos, relembrar?

Gustavo V.S Ferreira
05/06/2018

✑ Etéreo

Num passamento súbito, mal éreo
meu sopro consagrado, ressoando
atirou-se nos ares, tremulando
despedaçou-se em luz, no céu funéreo...

✑ Minuto Longo

Tempo nada tem além da ilusão
que tudo detêm pois é a razão
que rouba veloz pedaços de vida;
o tempo é algoz, é fera ferida...

✑ Queimação

A morte indolor pegou-me de jeito
O sonho acabou de ser imperfeito
Lágrima que dói e deixa ferida
rápida, corrói a gota da vida...

✑ 31 de Agosto

E no oitavo dia do mês de agosto
encontrei-a chorando, triste e perdida,
desmotivada e também constrangida,
e com lágrimas banhando o seu rosto...

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *