Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Flores Mortais

Agora não preciso mais ter medo
deste teu perfume intenso e mortal
sentirei-te perto de mim, sem mal
poderei desvendar o teu segredo.

Degustarei teu coração azedo
co' esse sentimento irracional
em flor de lis e num fogo infernal
Hei de acordar-te no silêncio aedo.

Terei meu lugar; não serei alpedo
neste caminho disfuncional
desenhado num morto arvoredo.

Numa promessa de sangue, em meu dedo
sinto teu falecer mesotermal
enquanto devoro tu' alma, bem cedo.

Gustavo V.S Ferreira
19/05/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *