Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Arrependimento


"Se arrependimento matasse..." - dizem...
E não mata? Achas que morri por quê?
Creio que não preciso nem dizer...
Os detalhes e segredos condizem.

Verdades agora se contradizem,
As dores voltaram a entorpecer,
o inferno, de mim, fez um dossiê...
Quero que minhas mortes amenizem...

Esperança, por onde andas? Cadê?
- Desespero - estou a desaprender
que os anjos da morte, a morte bendizem...

E mui doudo em meio a esse fuzuê
Sinto o demônio minha alma comer
e os seus olhos, meu tormento, predizem.

Gustavo V.S Ferreira
28/05/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *