Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Ambicídio Matinal

A voz dela, tão doce e leve em meus ouvidos
soava como música boa e macia
que circulava em minh'alma tensa e vazia
e despertava meus olhos enegrecidos.

E os nossos desamores, em morte, envolvidos
pairavam densos, gélidos no coração
e congelava tudo; nossa redenção
era apenas buscar o sol, arrependidos...

E saímos em busca, perdidos nas noites
nada mais encontramos além dos açoites
que intensos, forçaram-nos ao suicídio...

Só espero que não despertes em afoites,
nem em nossas lembranças; não quero que acoites
a eterna solução que achamos no ambicídio.

Gustavo V.S Ferreira
09/05/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *