Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Embarcando

No mar embarcando prossigo amando;
E vou balançando minha triste vida
que descolorida está afundando;
segue reclamando destas despedidas...

Suas investidas afundam-me no mar;
neste teu desamar de desejos comuns
onde apenas uns conseguiram chegar;
na praia, a remar sem ter rumo algum.

Em destino nenhum chegarei, ind'assim
afasto-as de mim, tuas inconstâncias...
Adquiro distância do teu amor mastim...
Do teu lado ruim, restaram lembranças.

Gustavo V.S Ferreira
18/04/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *