Gustavo Valério

O Poeta Soturno

✑ Suicídio no Natal

Na madrugada do dia anterior ao natal
eu estava meditando no que tenho feito;
estava pensando em melhorar
e mudar para alcançar alento.

O que tenho até agora não me faz feliz,
pelo menos, não como eu gostaria.
Não me importo com as dores da mudança,
desde que, entre mágoas e torrentes, haja alegria.

Percebi que preciso me tornar mais rude,
preciso mudar minhas atitudes,
tentar ser mais natural...

Assim, depois de fazer tudo o que pude,
de gozar de tudo o que me ilude,
suicidei-me no natal.

E ano que vem, assim espero,
ressurgirei, novo, vil e áspero
e mergulhado num novo eu multilateral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *